Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Brasília (19/06/2017) – O Governo do Acre assinou na última sexta-feira (16/06) acordo de cooperação técnica com o Ibama para utilização do Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor) no estado. Iniciada em março, a implantação do novo sistema ocorrerá gradativamente até o fim do ano em todo o país, após a capacitação de técnicos e empresários. A Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e o Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac) serão os responsáveis pela gestão no estado.

"O Sinaflor é um sistema de controle eletrônico que rastreia a origem dos produtos florestais desde a aprovação dos planos de manejo e autorizações de supressão de vegetação até o transporte, armazenamento, industrialização e exportação desses produtos”, disse a presidente do Ibama, Suely Araújo. Para o titular da Sema, Edegard de Deus, o Sinaflor moderniza o trabalho de gestão florestal. O diretor-presidente do Imac, Paulo Viana, informou que o uso do sistema resulta em ganhos de tempo, eficiência e controle da origem e do destino dos produtos florestais. “Vamos integrar a base do Cadastro Ambiental Rural (CAR) com o Sinaflor, viabilizando maior acompanhamento da dinâmica de desmatamento e redução dessa prática ilegal”, disse Viana.

O uso do Sinaflor pelos estados será obrigatório a partir de janeiro de 2018. Desenvolvido pelo Ibama, o sistema permitirá que toda a gestão florestal seja informatizada, com mais segurança e redução de fraudes. A necessidade de um sistema nacional foi estabelecida pela Lei 12.651/2012.

Operação Floresta Viva

Durante a cerimônia de assinatura do acordo de cooperação foi apresentado o Plano Estadual de Prevenção, Controle e Combate ao Desmatamento, Queimadas e Incêndios Florestais. O anúncio marca o início da Operação Floresta Viva, que será realizada em conjunto por fiscais do Ibama, do Imac e equipes do Corpo de Bombeiros e do Batalhão de Policiamento Ambiental do estado. A previsão é que em 2017 ocorra no estado do Acre longo período de estiagem, o que indica tendência de aumento dos incêndios florestais provocados por queimadas. O estado oferece alternativas ao uso do fogo para limpeza de pastagens e roçados.

 

Assessoria de Comunicação do Ibama
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 
(61) 3316-1015

  • 20/06/17
  • 16h22

Brasília (27/04/2016) – A presidente do Ibama, Marilene Ramos, e o governador do Maranhão, Flávio Dino, assinaram na última segunda-feira (25/04), em solenidade no Palácio dos Leões (MA), acordo de cooperação técnica para iniciar a operação do Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor) no estado.

O diretor de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas do Ibama, Paulo Fontes, disse que o objetivo é integrar os dados de todos os estados em um só sistema. “O Sinaflor é uma importante ferramenta de gestão que vai corrigir lacunas existentes no controle florestal com o efetivo acompanhamento do processo autorizativo”. Segundo Fontes, o sistema será colocado em prática em todo o país ao longo do ano, após período de adaptação em outros estados. “A agenda envolve capacitação dos órgãos, do setor produtivo e dos responsáveis técnicos dos empreendimentos, etapas que já foram cumpridas no Maranhão”, completou.

O Sinaflor permite cadastrar, pela internet, empreendimentos de base florestal e atividades sujeitas ao controle dos órgãos do Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama). Outro recurso oferecido é a possibilidade de requerer autorização para acesso a recurso florestal. A análise das solicitações feitas pelos usuários ganha agilidade na medida em que os dados ficam disponíveis para o Ibama e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente em tempo real. O sistema também oferece mais segurança à disponibilização de crédito de produtos florestais para emissão do Documento de Origem Florestal (DOF).

Os Estados de Roraima e Maranhão já estão operando o Sinaflor. A previsão é que todos estarão integrados ao sistema até janeiro de 2017.

Assessoria de Comunicação do Ibama
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
(61) 3316-1015
Foto: Divulgação/Governo do Maranhão

  • 27/04/16
  • 08h10

Brasília (02/01/2019) – O Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor) foi aprimorado com três novas ferramentas que tornarão mais fácil visualizar informações da cadeia produtiva em todo o país, acessar funcionalidades a partir de dispositivos móveis e capacitar usuários.
Desde o último dia 18/12, vem sendo implantado em etapas um portal de Business Intelligence (BI) que analisa dados produzidos pelo sistema e produz relatórios atualizados em tempo real para dar mais eficácia às decisões de gestores públicos.

“Com alguns cliques é possível ter uma visão completa do fluxo de madeira, inclusive em uma perspectiva histórica. Isso permite perceber avanços, imperfeições e assim aprimorar cada vez mais os sistemas de controle”, afirma o coordenador-geral de Monitoramento do Uso da Biodiversidade e Comércio Exterior, André Sócrates.

A plataforma de BI já oferece análise de dados relacionados a espécies, produtos florestais e transporte, além de informações sobre usuários e estoques cadastrados no sistema do Documento de Origem Florestal (DOF). Desde 1° de janeiro os usuários podem gerar relatórios sobre autorizações e, a partir de 11 de fevereiro, o acesso ao portal de BI estará aberto para toda a sociedade.

Outra ferramenta de apoio ao Sinaflor é um aplicativo para dispositivos móveis como celulares e tablets que permite coleta de dados em campo, validação e realização de declarações de corte.

O Sinaflor também terá uma plataforma de Ensino a Distância (EAD) que permitirá capacitar remotamente novos operadores e servidores de órgãos ambientais.

O portal de Business Intelligence, o aplicativo móvel e a plataforma EAD foram desenvolvidos com recursos do Global Environment Facility (GEF), fundo criado durante a Conferência das Nações Unidas Rio 92 para o enfrentamento de problemas ambientais nos países em desenvolvimento e administrado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) relacionados:

Assessoria de Comunicação do Ibama
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
061 3316 1015

 

 

 

  • 02/01/19
  • 14h03
Fim do conteúdo da página