Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Notícias 2017 > Operação Curaretinga combate garimpo ilegal de ouro na terra indígena Yanomami, em RR
Início do conteúdo da página

Operação Curaretinga combate garimpo ilegal de ouro na terra indígena Yanomami, em RR

Publicado: Quinta, 13 de Abril de 2017, 19h46 | Última atualização em Quinta, 14 de Setembro de 2017, 10h42
Ibama, Funai, PF e Exército combatem extração ilegal de ouro na TI Yanomami
Foto: Ibama
Foto: Ibama

Brasília (13/04/2017) – O Ibama, a Fundação Nacional do Índio (Funai), a Polícia Federal (PF) e o Exército Brasileiro realizaram operação de combate ao garimpo ilegal de ouro na Terra Indígena (TI) Yanomami, em Roraima, que resultou na destruição de 20 acampamentos e na apreensão de quatro balsas, uma voadeira, 6 motores, 5 geradores, 1 telefone satelital e 200 metros de mangueira para garimpo. Três garimpeiros foram detidos e encaminhados para interrogatório na PF.

O uso de balsas com motores e dragas vem causando acelerada degradação no leito do rio Uraricoera. Além dos danos ambientais diretos, causados pelo revolvimento da areia e do material mineral natural do leito dos rios e barrancos, trechos de mata nativa são destruídos com a finalidade de abrir novas frentes de prospecção para a lavra ilegal. O mercúrio metálico, usado para separar o ouro de outros minerais, é carreado para os corpos hídricos e resulta na contaminação de toda a cadeia alimentar.

O objetivo da Operação Curaretinga é desestruturar a logística do garimpo com a apreensão e a inutilização de equipamentos usados na lavra, como balsas, motores, dragas e mangueiras, além de materiais de suporte como combustíveis, botijas de gás, geradores, motores de popa e voadeiras.

Uma equipe formada por policiais militares e servidores da Funai permanecerá na região para impedir o retorno de garimpeiros pelo rio Uraricoera.

Em abril de 2016, Ibama e Funai realizaram operação de combate à exploração ilegal de ouro na TI Yanomami que resultou na destruição de 20 balsas, 11 acampamentos e 6 motobombas.

A TI Yanomami é a maior do Brasil, com 9,6 milhões de hectares nos estados de Roraima e Amazonas.

 

Extração ilegal de madeira

Durante a Operação Curaretinga, uma ação paralela de combate à extração ilegal de madeira foi realizada nas proximidades da Terra Indígena Waimiri-Atroari, no sul do estado. Agentes ambientais do Ibama identificaram corte raso, comercialização e estoque de madeira sem Documento de Origem Federal (DOF), além da extração irregular de minério na TI Yanomami, resultando na aplicação de R$ 1,3 milhão em multas. Também foram apreendidos 39,74 metros cúbicos de madeira serrada e 3.359,50 metros cúbicos de madeira em toras de diversas espécies.

 

Mais informações:

Ibama e Funai desativam garimpo ilegal na terra indígena Yanomami

 

Assessoria de Comunicação do Ibama
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
(61) 3316-1015

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página